Brasil

Publicada em 14/09/20 às 17:18h - 9 visualizações
Inflação dos mais pobres sobe com alimentos e a dos mais ricos cai, diz Ipea

RÁDIO BREJETUBA FM 87.9 Mhz


 (Foto: RÁDIO BREJETUBA FM 87.9 Mhz)

A inflação dos alimentos e a deflação dos serviços, em meio à recessão provocada pela pandemia de covid-19, levaram o Indicador Ipea de Inflação por Faixa de Renda de agosto a ratificar uma pressão inflacionária maior para as famílias mais pobres. Em agosto, enquanto a taxa de inflação das famílias mais pobres apontou alta de 0,38%, a faixa de renda mais alta registrou uma deflação de 0,10%, informou o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) nesta segunda-feira, 14.

No ano, o Indicador Ipea de Inflação por Faixa de Renda para as famílias muito pobres acumula alta de 1,5%. Para os mais ricos, há retração de 0,07% no índice.

As diferenças nas composições das cestas de consumo, entre as famílias muito pobres e as famílias mais ricas, explica a diferença. Especialmente quando se leva em conta as quantidades, além do preço, os muito pobres gastam, relativamente, mais com alimentos e menos com serviços. Já os mais ricos gastam mais, também relativamente, com serviços.

“Evidencia-se uma pressão altista vinda dos alimentos no domicílio – que formam o grupo de maior peso na cesta de consumo das famílias mais pobres – e uma queda nos preços dos serviços, cujo alívio é bem mais intenso sobre o orçamento das famílias mais ricas”, diz um trecho do relatório do Ipea.

O Indicador Ipea de Inflação por Faixa de Renda decompõe o IPCA por faixas de renda. A faixa mais pobre tem renda domiciliar abaixo de R$ 1.650,50 mensais por família. A faixa mais rica tem renda domiciliar acima de R$ 16.5009,66 mensais por família.

Segundo o Ipea, enquanto a inflação dos alimentos voltou a se acelerar em agosto, os descontos dados por creches e escolas particulares por causa da pandemia contribuíram para derrubar ainda mais o índice de serviços. O preço das mensalidades escolares é exemplo típico de item que afeta mais os orçamentos dos mais ricos, já que as famílias mais pobres, tipicamente, não gastam com mensalidades, pois recorrem ao ensino público.

“A retração no valor das mensalidades das creches (-7,7%) e das escolas de ensino fundamental (- 4,1%) e médio (- 2,9%) gerou um alívio maior sobre o orçamento da população de renda mais alta, pois é esse segmento que, majoritariamente, utiliza os serviços privados de educação”, diz o relatório do Ipea.

Vinícius Neder
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:





(27) 9 9869-1031


SHOW DA TARDE com THAUAN CORREIA
Peça sua Música

  • Welliton Ferreira Nunes
    Cidade: Brejetuba
    Música: primeiramente vs baile da Colômbia MC LAN
  • milenadasilvapaulino24@gmail.com
    Cidade: Humaitá
    Música: ze neto e Cristiano amigo taxista
  • milenadasilvapaulino24@gmail.com
    Cidade: Humaitá
    Música: nada mudou de paulo e paulim
  • filipe da silva moca
    Cidade: humaita mutum mg
    Música: cantora talita santos nome da hino o homem sem Deus
  • filipe da silva
    Cidade: Humaitá mutum mg
    Música: boiadeiro de palavra
  • Leodalto viana Gonçalves
    Cidade: Afonso claudio
    Música: qualquer música de Chitãozinho e Xororó.
Publicidade Lateral
Top Música
1
CEM MIL
GUSTTAVO LIMA
2
ATRASADINHA
FELIPE ARAÚJO & FERRUGEM
3
ESTADO DECADENTE
ZÉ NETO & CRISTIANO
4
SURTO DE AMOR
BRUNO & MARRONE & JORGE & MATEUS
5
TIJOLÃO
JORGE & MATEUS
Bate Papo

Digite seu NOME:


Notícias Atualizadas

Parceiros









Copyright (c) 2020 - RÁDIO BREJETUBA FM 87.9 Mhz - Todos os direitos reservados